segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

As delícias de Évora

 Paulo Roberto....
 Célia...
 Com Manuel Patrício, o Paulo Freire português (de cachecol vermelho)
A Universidade com 1559 anos...
Muralhas de Évora


Cavaco ganhou a eleição em Portugal, ontem e a Bragança portuguesa foi decisiva para a vitória. Paulo Roberto Ferreira e mais um time de paraenses viram a eleição de pertinho e acompanham a conjuntura portuguesa bem ao lado, vendo o FMI dando as cartas, a informação de corte de salários e de todo o receituário neoliberal tão conhecido de nós brasileiras.


Paulo, amigo, compa e ex-secretário de Comunicação do Governo Ana Júlia, está desde o início do mês em Évora, catando e cambiando conhecimento numa pós-graduação que vai até meados de fevereiro, na  Universidade de Évora, existente desde 1559.


Mesmo estudando muito, sobra um tempinho pra caminhar por Évora e, de vez em quando, fazer o barulhinho bem brasileiro na hora da despedida de algum amigo. Geralmente, no restaurante Almedina. 


Os 31 alunos do mestrado que estão em Évora não comem muita carne de gado. Em compensação, degustam um bom carneiro, uma boa carne de porco e  peixes como bacalhau, enchova, varapau. Pra alguns, já bate a saudade da farinha, mas os bons (e baratos) vinhos do Alentejo, ajudam a suportar as várias saudades, a ventania que vem do mar de planície e as baixas temperaturas de 3, 4 e 5 graus.  Uma ajuda é a da calefação dos prédios. 


 Andar por Évora exige muita calma na hora da preparação, do ato de se agasalhar pra enfrentar o frio. E um bom desempenho físico e equilíbrio, pois as ruas têm muitas ladeiras e são todas calçadas  por pedras e paralelepípedos.


Pelo site oeducador, os amigos e compas podem acompanham um pouco dos relatos feitos por paulo Roberto, Célia. E saber um pouco mais das delícias que é estar em Évora, como turista e estudante. Aprendiz da vida.


Daqui, meu abraço a Paulo Roberto, Célia e a todos os alunos. E um afago em Évora e sua monumental história e conhecimento. Delícia pra alma e pros olhos, com certeza. Vou esperar a chegada dos amigos. Pra marcar um dia de conversa sobre a vida em Évora, matar a saudade. Com uma boa caldeirada de filhote, saladona e farinha de Bragança, a nossa.

4 comentários:

Haroldo Fernandes disse...

Realmente o lugar é lindo, tenho um irmão que está lá Paulo Roberto V. Fernandes, junto com essa turma boa de paraense que por lá amdam

Vera Paoloni disse...

Ôi Haroldo,

valeu tua visita. Não conheço Évora pessoalmente, mas parece muita linda.
Muito bom dia!

Anônimo disse...

O Paulo Fernando já é conhecido entre nós como o Rei de Évora, a espera do Mano Pablo, seu filho que vai nascer em maio. Grande figura da área de filosofia e que assegura muita qualidade nas discussões dentro e fora de sala.

Anônimo disse...

Usufrir das delícias de Évora é fantásticos.
Parabens aos mestrandos filhos do Pará que aí estão. Parabens pela concretização do desejo de cada um.

 
;