domingo, 25 de março de 2018 0 comentários

É mentirosa e dissemina ódio a série O Mecanismo, da Netflix. Um show medonho de ódios, mentiras e mau caratismo!

Estreou dia 23/3/18 e está sob intenso açoite a série "O Mecanismo", da Netflix. É um show medonho de ódios, mentiras e mau caratismo! 

Muita gente está cancelando a assinatura da Netflix. Eu sugiro que se negative a série e se diga à Netflix as razões.

Por sinal, as razões estão bem elencadas nessa nota de esclarecimento assinada pela presidenta legítima e eleita Dilma Rousseff e que transcrevo no meu blog.

Quanto a José Padilha, que passe muito mais tarde!


O mecanismo de José Padilha para assassinar reputações

- Cineasta propaga “fake news" na série de TV  lançada pela Netflix. Dilma desmascara as mentiras

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O país continua vivo, apesar dos ilusionistas, dos vendedores de ódio e dos golpistas de plantão. Agora, a narrativa pró-Golpe de 2016 ganha novas cores, numa visão distorcida da história, com tons típicos do fascismo latente no país.

A propósito de contar a história da Lava-Jato, numa série “baseada em fatos reais”, o cineasta José Padilha incorre na distorção da realidade e na propagação de mentiras de toda sorte para atacar a mim e ao presidente Lula.

A série “O Mecanismo”, na Netflix, é mentirosa e dissimulada. O diretor inventa fatos. Não reproduz “fake news”. Ele próprio tornou-se um criador de notícias falsas.

O cineasta trata o escândalo do Banestado, cujo doleiro-delator era Alberto Yousseff, numa linha de tempo alternativa. Ora, se a série é “baseada em fatos reais”, no mínimo é preciso se ater ao tempo em que os fatos ocorreram. O caso Banestado não começou em 2003, como está na série, mas em 1996, em pleno governo FHC.

Sobre mim, o diretor de cinema usa as mesmas tintas de parte da imprensa brasileira para praticar assassinato de reputações, vertendo mentiras na série de TV, algumas que nem mesmo parte da grande mídia nacional teve coragem de insinuar.

Youssef jamais teve participação na minha campanha de reeleição, nem esteve na sede do comitê, como destaca a série, logo em seu primeiro capítulo. A verdade é que o doleiro nunca teve contato com qualquer integrante da minha campanha.

A má fé do cineasta é gritante, ao ponto de cometer outra fantasia: a de que eu seria próxima de Paulo Roberto da Costa. Isso não é verdade. Eu nunca tive qualquer tipo de amizade com Paulo Roberto, exonerado da Petrobras no meu governo.

Na série de TV, o cineasta ainda tem o desplante de usar as célebres palavras do senador Romero Jucá (PMDB-RR) sobre “estancar a sangria”, na época do impeachment fraudulento, num esforço para evitar que as investigações chegassem até aos golpistas. Juca confessava ali o desejo de “um grande acordo nacional”. O estarrecedor é que o cineasta atribui tais declarações ao personagem que encarna o presidente Lula.

Reparem. Na vida real, Lula jamais deu tais declarações. O senador Romero Jucá, líder do golpe, afirmou isso numa conversa com o delator  Sérgio Machado, que o gravou e a quem esclarecia sobre o caráter estratégico do meu impeachment.

Na ocasião, Jucá e Machado debatiam como paralisar as investigações da Lava Jato contra membros do PMDB e do governo Temer, o que seria obtido pela chegada dos golpistas ao poder, a partir do meu afastamento da Presidência da República, em 2016.

Outra mentira é a declaração do personagem baseado em Youssef de que, em 2003, o então ministro da Justiça era seu advogado. Uma farsa. A pasta era ocupada naquela época por Márcio Thomas Bastos. Padilha faz o ataque à honra do criminalista à sorrelfa. O advogado sequer está vivo hoje para se defender.
O cineasta não usa a liberdade artística para recriar um episódio da história nacional. Ele mente, distorce e falseia. Isso é mais do que desonestidade intelectual. É próprio de um pusilânime a serviço de uma versão que teme a verdade.

É como se recriassem no cinema os últimos momentos da tragédia de John Kennedy, colocando o assassino, Lee Harvey Oswald, acusando a vítima. Ou Winston Churchill acertando com Adolf Hitler uma aliança para atacar os Estados Unidos. Ou Getúlio Vargas muito amigo de Carlos Lacerda, apoiando o golpe em 1954.

O cineasta faz ficção ao tratar da história do país, mas sem avisar a opinião pública. Declara basear-se em fatos reais e com isso tenta dissimula o que está  fazendo, ao inventar passagens e distorcer os fatos reais da história para emoldurar a realidade à sua maneira e ao seu bel prazer.

Reitero meu respeito à liberdade de expressão e à manifestação artística. Há quem queira fazer ficção e tem todo o direito de fazê-lo. Mas é forçoso reconhecer que se trata de ficção. Caso contrário, o que se está fazendo não está baseado em fatos reais, mas em distorções reais, em “fake news” inventadas.

DILMA ROUSSEFF

http://dilma.com.br/o-mecanismo-de-jose-padilha-para-assassinar-reputacoes/
sexta-feira, 24 de novembro de 2017 0 comentários

Celebremos os 84 anos de vida do valoroso Sindicato dxs Bancárixs.Pa, pois #SóAlutaNosGarante

Integro a diretoria de Formação e Cultura do Sindicato dxs Bancárixs.Pa. sindicato que tive a honra de presidir em tempos também sombrios e trevosos, no período de FHC - Fernando Henrique Cardoso, em que 23 dos 27 bancos estaduais caíram sob a metralhadora da privatização. 

Lutamos muito e cá estamos, de pé e travando o bom combate, encarando o golpe e nos rebelando todo santo dia. E nesta sexta-feira 24/nov/17, celebraremos os 84 anos desta valorosa entidade de luta da categoria bancária e da classe trabalhadora. Tenho fé na luta que atravessaremos esta tormenta neoliberal jogada contra a classe trabalhadora por Temer e sua base aliada golpista. 

Mas hoje, hoje é dia de comemorar nossa resistência a golpes a retiradas de direitos, encontrando acalanto mesmo no tempo adverso. 

Ergo e convido a um brinde à luta e a capacidade de enfrentar as lides com coragem, sem abrir mão da poesia e produzindo bondade e valentia em meio à dor. 

Bom dia, teimosia! 

 #Sextou 
#SóaLutaNosGarante


Banpará: símbolo vivo da luta, unidade e resistência!

Sindicato dxs Bancários.Pa: grande ferramenta de luta em prol da categoria bancária e da classe trabalhadora!

quinta-feira, 26 de outubro de 2017 2 comentários

Paulinho Fonteles foi amor, luta e poesia. Paulinho, presente, presente, presente!!!

A notícia chegou bem cedo hoje, por zap. Paulinho Fonteles tinha sido fulminado por um infarto. Não acreditei, mas chorei, o coração adivinhando que a notícia era tristemente verdadeira.
À noite, fui ao velório na Assembleia Legislativa do Pará, mesmo lugar em que, há 30 anos, grávida de meu 3º filho, Adriano, subi as mesmas escadarias para velar o corpo do companheiro Paulo Fonteles, o pai, assassinado brutalmente pelo latifúndio.
Foi difícil subir as escadas, com a história passando um filme veloz e triste na minha frente, reencontrando companheiros e companheiras de muitas décadas de jornadas .
Lembrei do sorriso doce de Paulinho e de quando compartilhávamos  debate sobre a conjuntura, já sob o golpismo de Temer e seus aliados. Ele, um combatente firme e otimista, cheio de planos e de tanta vida! Ir embora aos 45 anos, parece uma tremenda sacanagem com a gente.
Que tempos!
Que Paulinho siga na luz! E muita força para a companheira de jornada, familiares e a legião de amigos e amigas que ele tão bem cativou, sendo luta, amor e poesia!

Republico aqui a nota da CUTPa, escrita com a emoção tropeçante deste dia tão doído!
↓. 


PAULINHO FONTELES, PRESENTE!
Nota de pesar

 Hoje, dia 26 de outubro de 2017, a luta de todos e todas que sonham e lutam por um Brasil mais justo e igualitário, teve um desfalque insubstituível com a perda precoce de Paulo Fonteles Filho, o Paulinho Fonteles, como era carinhosamente chamado.

 Nós, que construímos e fazemos a CUT.Pará, sentiremos a falta da tua parceria, do teu compromisso com a luta, da tua garra e do teu jeito menino e doce de ser. Firme, sem perder jamais a ternura, nisso lembrando outro grande revolucionário!

A história de vida de Paulinho fala por si só. Nasceu no cárcere da ditadura, militou no movimento estudantil, foi vereador de Belém pelo PCdo B, e tornou-se um dos principais militantes dos direitos humanos no Pará, tanto que comandava o Instituto Paulo Fonteles de Direitos Humanos e era membro da Comissão Estadual da Verdade (CEV).

Vivemos dias difíceis, de retrocessos nos direitos humanos, sociais, políticos e sindicais. Mas vamos persistir na resistência e temos certeza que esse tempo vai passar. E aí camarada Paulinho, pode ter certeza, que nós faremos a festa por ti.

Vai vem paz, Paulo Fonteles Filho, vai em paz mano guerreiro do povo brasileiro, um apaixonado pelo Araguaia, pela vida, sendo ao mesmo tempo, luta, amor e poesia!

Paulinho Fonteles, PRESENTE!

 Belém.Pa, 26/out/17.
 CUT.Pa
Paulinho Fonteles.
sexta-feira, 25 de agosto de 2017 2 comentários

Quando setembro chegar, 64 futuros bancários serão convocados para trabalhar no Banpará. Porque só a luta nos garante!

Quando chegar este setembro/17, 64 novxs bancárixs serão convocadxs a integrar as fileiras dos mais de 2.000 Bancárixs do Banpará - Banco do Estado do Pará S.A. Aí é só peticionar na justiça, arrumar a documentação e virar bancário nestes tempos medonhos de Temer e desemprego!
Contando assim, parece simples e fácil. Mas não foi. 

Corria o ano de 2016, já era outubro/16, o edital do concurso de 2014 terminaria em novembro/14 e nada de boa parte dos futuros colegas serem chamados. Criaram uma comissão, foram até o Sindicato dxs Bancárixs.Pa., que acolheu os concursados e o pedido de organizar uma frente de luta até que todxs fossem chamados ao trabalho no Banpará. Ato público na frente da Matriz do Banpará e ação na justiça, com a assistência jurídica do escritório Mary Cohen. Muitas reuniões, zap daqui, zap dali, choro, angústia, zanga, preces e pressões,  até que a justiça propôs, em acordo judicial, o ingresso de 64 novos colegas. Três audiências na 12a Vara do TRT.Pa.

E na tarde desta sexta-feira, 25/ago/17, após a manhã em reunião do Comitê Disciplinar do Banpará, estivemos no Sindicato com parte dos futuros  bancárixs para sacramentar se topam ou não a proposta construída na justiça, com assistência  do Ministério Público do Trabalho. Toparam. Por unanimidade. Com muitas falas emocionadas e gratidão à vitoriosa luta travada pelo Sindicato.

Feliz, eu...Feliz toda a diretoria do Sindicato, do escritório jurídico e até negociadores do banco. 

Pra mim, funcionária das antigas deste banco e que presidi o Sindicato no também trevoso período  neoliberal de FHC, de muitas perdas de emprego e direitos, é muito gratificante comprovar, mais uma vez e neste Banpará,que só a luta nos garante. 

Parabenizo os futuros novos colegas pela decisão acertada de se organizar e caçar o  rumo do Sindicato pra alumiar os caminhos. E ao meu sindicato que, novamente, confirma o slogan que Sindicato é pra lutar!
🙆🙌💝💞✋✋✋✋✌✌✌✌

 *
Atualizado em 27/set/17, às 18:02= E neste 27 de setembro de 2017, dia de São Cosme e São Damião, dia de brincaderas e bombons com crianças, dia de reunião no Comitê Disciplinar no Banpará, ficou para este finalzinho de setembro, a homologação, na justiça, entre Banpará e Sindicato dxs Bancárxs.Pa para a contratação de 64 novos colegas do concurso de 2014!
Então, vai ser com gosto de maniçoba e cheiros e bênçãos do Círio de Nazaré que o novo time entrará no Banpará. Uma peleja e tanta, digna de rodadas de conversa e celebração. Vitoriosa e linda!
Aguardo vocês!💗


A palavra ansiada: homologação! No site do TRT.Pa às 14:08:56 deste 27 de setembro de 2017.
 
Mais do que nunca, só a luta nos garante!

Tarde de 25/ago/17: para registrar a luta do Sindicato pelos concursados de 2014.

A fala grata e emocionada da representação da comissão dos concursados de 2014.

Não podia perder a chnace de ter uma selfie com alguns dos futuros colegas.

No início da reunião na sede do Sindicato dxs bancárixs.Pa

quinta-feira, 17 de agosto de 2017 0 comentários

Quero é ver barrar o amor! #LulaPeloBrasil

Uma imagem que varou o mundo, emocionando quem tem alma: o menino Everton, aos 7 anos pulando em Lula e hoje o rapaz, 11 anos depois, acarinhando o maior presidente de todos os tempos, na caravana pelo Nordeste, inicada neste 17 de agosto de 2017. Com Lula sendo recebido com o carinho que o povo brasileiro sadio tem. E com as elites, juízes e poderosos querendo atravancar o caminho percorrido por Lula e o povo!  
Eu quero é ver barrar o amor!
❤
(Foto: Ricardo Stuckert). #LulaPeloBrasil
Tanto amor dispensa legenda.

sexta-feira, 21 de julho de 2017 0 comentários

O melhor da gente vem embalado no amor...parabéns, Adriano! 20.julho.2017

Adri,

Filhos são o que temos de melhor, o que melhor produzimos nesta jornada. E meu caçula está no berço hoje, ele que vinha ao mundo às 8h de 20 de julho de 1987. Nascido no Dia do Amigo, algo que é, de raiz.

Adri, meu menino amado, que continues sendo farol de luz e amor, alumiando os caminhos, varrendo a escuridão e enchendo de alegria os nossos corações. 

Com minha ternura, desta e  de outras vidas e só te desejo com ardor de mãe: vai ser feliz, filho. E que tenhas doses generosas de paz, amor, riso, aconchego para os dias difíceis, temperança, algum trocado, não percas de vista o humor e a poesia e boas camaradagens.

Bora celebrar a vida!

Eu te amo e vou ser por toda a tua vida a tua fã número 1.
Fã com amor incondicional!💓💙💚💛💜💔🙋

Observação: este texto só foi publicado na tarde do dia 21. Pelo app do blogger não consegui subi-lo.😓
sexta-feira, 30 de junho de 2017 0 comentários

Povo paraense cruza os braços contra Temer e reformas. #GrevePorDireitos

E o povo trabalhador cruzou os braços nesta 2a greve geral, Dia de São Marçal, 30 de junho de 2017. A greve geral em Belém contou com o decisivo apoio da categoria rodoviária. Belém está sem ônibus rodando. Bancos fechados. Ruas de entrada e saída de Belém fechadas. Comércio fechado. É uma bonita resposta da classe trabalhadora aos ataques de Temer e Congresso com as famigeradas reformas trabalhista e da previdência. Ao brutal ataque à democracia e à soberania do país.
#GrevePorDireitos
***
Atualizado às 9:10 - Recado ao Banpará: 
Colegas do Banpará, aqui é Vera Paoloni. Aqui na greve circula uma conversa que o banco está orientando para que colegas alterem hoje a jornada habitual e entrem na Matriz entre 11h e12h, numa tentativa frustrada de furar a greve. 
Temos duas considerações para isso, se for verdade: a) que o colega não atenda essa proposta indecorosa num dia de greve geral e ainda por cima, sexta-feira!; b) estaremos às 12h na porta para conversar com cada colega. Afinal, estamos em greve e a causa é pra lá de justa. Aproveitemos para visitar um amigo doente, botar um assunto adiado em dia, olhar a cidade, ler um livro, assistir aquele episódio da Netflix que nunca dá tempo, vá para a caminhada da greve, a partir do meio dia.Tem muito o que fazer. 
E antes que eu esqueça, que o banco passe muito mais tarde com essa pressão fora de orquestra!💃🏼💃🏼🎊
Matriz do Banpará na Av Pte Vargas/Belém. Foto: Allan Tomaz. 


 
;