domingo, 11 de agosto de 2013

Papai me ensinou que a alegria é o motor da vida. E que é preciso repartir o que temos de bom com quem mais precisa. A bença, paizinho!

Amor ,aconchego e ensinamentos  nos abraços e nas atitudes.

Paizinho ficou entre nós quase 88 anos e se foi a 13 de abril de 2011. Me ensinou tanto com palavras, atos e abraços. Como confortavam os abraços chegados, como esse na foto, carinhosamente olhado por mamãe lá na casa da minha amada mana, em Fortal. 

Me ensinou que é preciso ajudar os que têm fome de justiça, que palavra dada tá empenhada e precisa ser cumprida, custe o que custar. Que ajudar os outros é fundamental na caminhada da vida. Que é preciso amar as pessoas, os animais, ter amigos em cantinho especial do coração, cuidando com todo carinho do mundo. Que honestidade consigo e com os outros é tudo, mesmo que às vezes afaste alguns. E que a alegria é motor da vida, rir, dançar, brincar, amar.

Tanta coisa me ensinou seu Heraldo! Ainda menina ele me dizia, na contramão dos pais que preparavam as filhas para casamentos: estude, esse vai ser seu marido pra vida toda. Tinha tanta razão, meu visionário pai.

Gostou do sapo barbudo Lula e do amor dele pelos pobres, por querer repartir um pouco da imensa riqueza do país com os pobres, os aposentados, de dar chance para que filho de pobre pudesse estudar. Pescador e amante do mar, meu pai pescou muitas raras a maravilhosas ideias e nos reuniu em torno delas.

Papai me chamava de "meu brilhante", gentileza exagerada de pai apaixonado pelos filhotes. Em dias de tempestade e quando certo  e errado se embaralham na minha mente, lembro dele me dizendo, ao me abraçar: Lúcia, na dúvida, olha teu coração! (Meu nome é Vera Lúcia e só ele me chamava de Lúcia).

Ah! paizinho, quanto me faz falta nossas conversas, teus abraços! Agora que tás aí pertinho do manos Betinho, Zé Wilson, Castagna Maia, Walter, tio Getúlio e tantos outros, faz uma festa e dá um jeito de vir nos dar um abraço desses que falam mais que mil palavras e acalantam a alma, orientam a vida e agasalham nossas dores!

A bença, pai! Como te amo! E tento seguir no rumo dos teus ensinamentos. Abraço especial a todos os pais e pãins deste país!

*** P.S - Neste Dia dos Pais, 11 de agosto de 2013, a CUT.Pará envia uma caravana de busão a Brasília para ajudar na luta #contraPL4330, o projeto de lei que destrói empregos, direitos sociais e trabalhistas. O melhor presente aos pais e mães da classe trabalhadora deste país é a não-aprovação desse famigerado projeto!

2 comentários:

Diógenes Brandão disse...

Deve ser por todo esse carinho que o brilhante recebeu, que tu sejas a grande mulher, mãe e amiga que és. Parabéns pelo texto, pela verdade e sentimentos nobres.

Helen Lima disse...

Que lindo brilhante, "Lucia"!

 
;