quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

7 de janeiro marca a tomada de poder pelos cabanos em Belém mas nenhuma na cidade rua faz essa homenagem. Viva a Cabanagem!

Nenhuma rua de Belém homenageia a Cabanagem, autêntica revolução popular paraense. E 7 de Janeiro marca a tomada de Belém pelos cabanos, como mostra este belo texto do jornalista e professor, compa Paulo Roberto Ferreira, que eu compartilho neste espaço, juntamente com o meme do Sindicato dos Bancários do Pará. E mais embaixo, os belos versos do poeta e professor Antonio Juraci Siqueira, também homenageando a Cabanagem.

Bom dia, meu povo!
***
O texto do Paulo Roberto Ferreira
Viva os cabanos! Viva Guaimiaba!Neste 7 de janeiro os cabanos tomaram o poder em Belém, em 1835. Nenhuma rua marca este fato histórico da única revolução popular que tomou o poder no Brasil imperial. Foi também no dia 7 de janeiro de 1619 que o índio Guaimiaba liderou uma revolta contra o colonizador português. Esta é a data que todos nós deveríamos festejar Belém. Mas as comemorações são no dia 12, que marca a chegada do colonizador.
===
E o leitor Waldemar Azevedo complementa, no feice de Paulo Ferreira: Em tempo= alguns historiadores estimam que foram mortos 60% dos homens acima de 16 anos. Genocídio, isso é que é e a nobreza foi a mandante. Contratou os mercenários ingleses.
==
O meme do Sindicato dos Bancários do Pará




==

O poema de Antonio Juraci Siqueira

SALVE 7 DE JANEIRO!
SALVE A RESISTÊNCIA CABANA!

ÚLTIMO VÔO – Antonio Juraci Siqueira
(Para quem traz no peito a chama
do ideal da Cabanagem.)

Quatro séculos de lutas
de um povo valente e audaz
em busca de liberdade,
justiça, respeito e paz
que, apesar dos desenganos,
segue entre perdas e danos
mas não se curva, jamais!

Quantos pés pisaram sonhos
dos nativos deste chão?
Quantos fomos, quantos somos,
quantos ainda virão?
Quantos tombaram lutando,
quantos vivem pelejando,
quantos sobreviverão?

Quantos heróis traspassados
pelo punhal assassino!...
Fontelles, Irmãos Canuto,
João Batista, Quintino,
Chico Mendes, Guaymiaba,
Expedito, Ajuricaba...
Quantos bravos num destino!

Como externar a bravura
sem par dos nossos avós
sem reprimir a ternura
que habita dentro de nós?
Como lutar tanto, tanto,
sem deixar, jamais, o pranto
sufocar a nossa voz?

Como é que um povo altaneiro
que a própria história constrói
pode quedar-se ferido
sem distintivo de herói?
Ser a pedra, ser a pluma,
a lança e a flor que perfuma
as mãos de quem a destrói...

Mas enquanto a intolerância
tem tentáculos de polvo,
a resistência dos bravos
em busca de um mundo novo
guarda o poder do oceano
e vence o ódio tirano
com a força que vem do povo!

(Do livro: “Uirá-Pirá – A saga do peixe-pássaro”)

E clique no blog da Franssinete pra conhecer um pouco mais sobre 179 anos da Cabanagem.

***
P.S - Campanha para Ulisses. A notícia é braba. O
camarada Ulisses Manaças, coordenador estadual do MST está com câncer no estômago e aguarda em casa leito para a cirurgia. Força, Ulisses! Há uma campanha´de energização, orações, fé e grana para ajudar o companheiro nessa difícil travessia.  Força, Ulisses! Vamos lá, com ajuda prática:

 Banco do Brasil
Conta poupança 5761-4
Agência 2809-6
Moisés Ferreira da Costa

contato: (siamcabral@yahoo.com.br ou 91.8338.3627)

4 comentários:

Anônimo disse...

Obrigado, Vera Paoloni.

Na verdade, Edmilson Rodrigues, quando esteve prefeito de Belém, fez valer uma lei que um gestor que não lembro o nome, se não me engano de 1935, que nomeava a travessa Padre Eutíquio, a partir da Mundurucus ao fim, de "Avenida dos Cabanos". Foram colocadas as placas com o novo (velho) nome em em seguida retiradas pelo (des)governo Duciomar Costa.

Aliás, o sambódromo que recebeu o nome de "Aldeia Cabana de Expressão Amazônica "David Miguel", nas últimas gestões é dita apenas "Aldeia Amazônica". Parece que todo mundo se envergonha da sua própria história.

Antonio Juraci Siqueira (via facebook)

Anônimo disse...

é, Vera, o Edmilson quando prefeito mudou o nome da Padre Eutiquio para Cabanagem... avenida Cabanagem, mas o povo continua se referindo ao nome antigo!

Célia Pinho (via facebbok)

Anônimo disse...

Várias ruas de Belém tem nome de personagens que participaram da cabanagem!

Jorge Oliveira (via facebook)

Vera Paoloni disse...

Juraci,

valeu pelo precioso reparo.

Célia Pinho,
sei que o Edmilson fez uma mudança.

Jorge,

por favor vai indicando os nomes das ruas que homenageiam a Cabanacagem e o povo lutadir. Em meu post, disse que não há uma rua 7 de Janeiro, data da tomada de Belém pelos cabanos.

Obrigada pela visita e comentários, Juraci, Célia e Jorge.

 
;